sábado, 1 de junho de 2013

HASTA LA VISTA, BABY!

Texto de Aloisio Guimarães

O governo brasileiro, sob a alegação de falta de médicos, vai importar, de Cuba, milhares destes profissionais. Eu não entendo de Medicina porra nenhuma, não sei quantas faculdades de Medicina existem no Brasil, quantos médicos temos nos país... Mas, diante do que sempre acontece nos noticiários, pergunto:
- O que falta é médico ou salário digno para o médico brasileiro?
Pelo que sempre ouvimos falar, todos os anos, em todos os estados do país, o que está faltando é um salário digno, que motive o médico a trabalhar, seja na capital ou interior.
Mas uma vez, tenho dúvidas:
- O que falta é médico no Brasil ou a importação dos cubanos visa tão somente aliviar a pressão das 500.000 demissões que o governo Castro está fazendo no funcionalismo do seu país, entre eles médicos, e com isso ajudar um governo que é considerado ídolo, por nossos governantes?
Estranhamente, mesmo diante do disse-me-disse de que a validação do diploma dos médicos cubanos poderá ser feita por decreto - o que é o absurdo dos absurdos - verdade ou não, os vários conselhos e sindicatos da classe médica brasileira se calam. E os poucos que gritam, o fazem de forma discreta. E pensar que milhares de brasileiros, "tiraram os olhos da cara" para se formarem médicos (na Bolívia, Paraguai, Argentina...), se endividaram bastante, comeram o pão que o diabo amassou e depois ainda sofreram cobras e lagartos para validarem os seus diplomas no Brasil...
Preocupa-me saber como é que o brasileiro, que não sabe explicar a sua doença nem aos nossos patrícios, como é que vai fazê-lo aos médicos estrangeiros. Temos um linguajar próprio, completamente diferente do deles. Os regionalismos e gírias são coisas que não se aprendem estudando a nossa língua no exterior, seja em Cuba ou na China. É evidente que muita coisa ruim poderá ocorrer, por uma "comunicação não compreendida" entre paciente e médico! Se acontecer, quem serão os culpados?
Sou favorável a qualquer providência que melhore a saúde pública do nosso povo, mas desde que adotada com responsabilidade. Assim, nada mais justo, portanto, que o governo (e seus ministros) seja o primeiro a dar o exemplo:
- No teor da Medida Provisória para legalizar a atuação dos médicos cubanos (ou de outros países) esteja inserida também a obrigatoriedade de que a nossa presidente, seus ministros e os familiares de todos eles, na necessidade de médicos, sejam tratados pelos cubanos.
Agora, com licença, que tenho que ir ao médico...
Médico brasileiro, lógico!

Nenhum comentário:

Postar um comentário