segunda-feira, 2 de setembro de 2013

TREM, COMBOIO DA VIDA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Você já andou de trem/comboio alguma vez? Numa viagem de trem podemos notar uma grande diversidade de situações, ao longo do percurso.
E a nossa existência terrena, bem pode ser comparada a uma dessas viagens, mais ou menos longa. Primeiro, porque é cheia de embarques e desembarques, alguns acidentes, surpresas agradáveis em alguns embarques, e grandes tristezas em algumas partidas. Quando nascemos, entramos no trem/comboio e nos deparamos com algumas pessoas que desejamos, estejam sempre conosco: são nossos pais. Infelizmente, isso não é verdade; em alguma estação eles descerão e nos deixarão órfãos dos seus carinhos, amizade e companhia insubstituíveis. Mas, isso não impede, que durante a viagem, outras pessoas especiais embarquem para seguir viagem conosco: são nossos irmãos, amigos, amores e filhos.
Algumas pessoas fazem dessa viagem um passeio; outras encontrarão tristezas, e algumas circularão pelo trem/comboio, prontas para ajudar a quem precise. Muitas descem e deixam saudades eternas. Outras passam de uma forma que, quando desocupam seu acento, ninguém percebe.
Curioso é constatar que alguns passageiros, que nos são caros, se acomodam em vagões distantes do nosso, o que não impede, é claro, que durante o percurso nos aproximemos deles e os abracemos, embora jamais possamos seguir juntos, porque haverá alguém a seu lado ocupando aquele lugar. Mas isso não importa, pois a viagem é cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas.
O importante, mesmo, é que façamos nossa viajem da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com os demais passageiros, vendo em cada um deles o que têm de melhor.
Devemos lembrar sempre que, em algum momento do trajeto, eles poderão fraquejar e, provavelmente, precisemos entendê-los, porque nós também fraquejaremos muitas vezes e, certamente, haverá alguém que nos entenda e atenda.
A grande diferença, afinal, é que no trem da vida, jamais saberemos em qual parada teremos que descer muito menos em que estação descerão nossos amores, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado. É possível que quando tivermos que desembarcar, a saudade venha nos fazer companhia porque não é fácil nos separar dos amigos, nem deixar que os filhos sigam a viagem sozinhos. Com certeza será muito triste. No entanto, em algum lugar, há uma estação principal para onde todos seguimos.
E quando chegar a hora do reencontro, teremos grandes emoções em poder abraçar nossos amores e matar a saudade que nos fez companhia por um longo, tempo...
Que nossa breve viagem seja uma grande oportunidade de aprender e ensinar, entender e atender aqueles que viajam ao nosso lado, porque não foi o acaso que os colocou ali. Que aprendamos a amar e a servir, compreender e perdoar, pois não sabemos quanto tempo ainda nos resta até a estação onde teremos que deixar o trem/comboio.
Se a sua viagem não está acontecendo exatamente como você esperava, dê a ela uma nova direção. Se é verdade que você não pode mudar de vagão, é possível mudar a situação do seu vagão. Observe a paisagem maravilhosa com que DEUS enfeitou todo trajeto... Busque uma maneira de dar utilidade às horas. Preocupe-se com aqueles que seguem viajem ao seu lado. Deixe de lado as queixas e faça algo para que sua estrada fique marcada com rastros de luz.
Pense nisso...
E, boa viagem!

Um comentário:

  1. Ericksson Tadeu Fernandes de Melo Nascimento2 de setembro de 2013 15:43

    Tive o privilégio e tenho o prazer de lhe informar que, neste seu trem, entramos (eu, Tadeu, minha filha Mayara amiga da sua filha Edoarda e por tabela até a minha esposa Rosilana adentrou) e ainda estamos neste vagão até DEUS sabe quando, e até lá, seremos muito grato pela companhia da sua família (você, Aloísio, Edoarda e sua amada esposa que no momento não recordo o nome). Um terno e cordial abraço e que o Senhor Jesus Cristo faça durar este trajeto deste Comboio nas nossas vidas!

    ResponderExcluir