domingo, 13 de outubro de 2013

MANIFESTO MASCULINO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Conclamo todos os homens brasileiros para nos unirmos e reivindicarmos a aplicação real do Princípio da Igualdade e da Isonomia que está contido na nossa Carta Magna.
Vamos lutar para a criação da Delegacia do Homem em todas as cidades do país, nos mesmos moldes das já existentes delegacias da Mulher, do Idoso e da Criança e do Adolescente. Na Delegacia do Homem poderemos nos queixar das agressões que sofremos das nossas mulheres, das pragas de sogras, das mal criações das filhas e dos ataques das vizinhas. A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco tem estatísticas incríveis sobre a quantidade de homens que são agredidos por suas mulheres, sobretudo nos bairros da periferia. Essas agressões geralmente acontecem com os companheiros exercendo seu saudável estado de embriaguês e são espancados bêbados, numa covardia inominável.
Briguemos pelo direito de sermos chamados de “gostoso” nas ruas, de termos a ventura de sentirmos uma mulher passar a mão na bunda da gente e de sermos estuprados por um trio de garotas jovens, num mato, num quarto ou numa beira de praia, assumindo o público compromisso de não nos queixarmos quanto a isso.
Batalhemos pela ascensão profissional das nossas mulheres, a fim de que elas passem a ter renda superior à nossa, de tal modo que possamos requerer pensão alimentícia em caso de separação.
E, no caso de ter a companheira uma renda de alto nível, batalhemos pelo direito de ficarmos no sagrado recesso do lar, exercendo as tarefas de dono-de-casa, com a competente assessoria de uma boa empregada.
Que façamos brotar um tempo onde a mulher abra a porta do carro, pague a conta no restaurante, escolha o motel, insista na cantada quando estivermos hesitando, tome a iniciativa de nos garanhar no carro e nos diga com os olhos brilhando: “Já estou molhada e de grelo duro…”.
Por fim, companheiros, nos unamos pelo sagrado direito de brocharmos e termos ejaculação precoce sem sermos alvos de jacotas, estatísticas, cobranças ou ameaças. Briguemos pela manutenção com altivez do lema:
- Enquanto eu tiver língua e dedo, mulher não me bota medo.

2 comentários:

  1. Direitos iguais ! Apoiado, só tenho filhos homens. Tirando a parte da sogra, tudo o mais está justificado. Rs.

    ResponderExcluir
  2. Na maré dosatualmente só mesmo a tal
    Delegacia do Homem poderia nos socorrer.
    A mulherada não tá respeitando nem o
    cara biritado, quanto mais a assessoria
    de uma boa empregada, boa, e doutras
    fornidas cabrochas. Vão logo apelando
    pra um tremendo xingatório, sendo
    complementado por desumano banho
    de porrada. Isso não é admissível;
    Delegacia do Homem, já!!!

    ResponderExcluir