sexta-feira, 11 de outubro de 2013

JUIZ "MEIO DOIDO"

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

A advogada Ana Paula Barbosa Ferreira, que defende uma loja de colchões em Goiânia, entrou com uma petição na justiça do estado onde pode ser lida uma frase, provavelmente, relacionada com a pessoa do juiz Gustavo Assis Garcia, magistrado responsável pelo caso.
Ao ler o documento, o juiz, em seu despacho, deu um prazo de 48 horas, para a advogada explicar sobre a tal frase.


 A advogada, por sua vez, eximiu-se de culpa.
- Estou muito envergonhada, é um fato que tem me causado um constrangimento enorme, nunca imaginei que tomaria essa proporção. Isso foi colocado por engano na petição, foi um estagiário que utilizou um modelo que já existia. No escritório em que eu trabalho, a minha senha é utilizada por todas as pessoas. E protocolaram. Eu, inclusive, não estava lá, isso aconteceu durante uma viagem de férias. Eu estou sendo prejudicada por um ato que nem fui eu que cometi. Não sei o que isso vai gerar pra mim. Eu posso responder na OAB, posso vir a responder judicialmente... Eu, em são consciência, jamais escreveria algo assim. Acho um desrespeito com a classe, e sempre agi com ética. Não colocaria em risco a minha profissão.

2 comentários:

  1. Data máxima vênia, o doido do juíz não tem nada
    de "meio doido"; já a Dr. Advogada é muito frocona,
    fraquinha, e de argumentação pífia, pra dizer o mínimo
    dessa tal 'adivogada'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sempre, quem paga o pato é o estagiário!

      Excluir