sábado, 2 de novembro de 2013

A SAGA DE DOIS CHINESES NO BRASIL

Adaptação de Aloisio Guimarães

Fu e Ku eram dois irmãos Chineses. Fu era um jovem quieto e trabalhador. Já o Ku era muito sapeca e muito dado com todo mundo.
Devido à superpopulação que já começava a tomar conta da China, diminuindo cada vez mais o mercado de trabalho, Fu resolveu vir tentar a sorte no Brasil. Mas veio só, deixou o Ku na China.
Naquele tempo, a viagem era longa muito e cansativa, muitos dias sentados no banco do navio, abarrotado de gente, um calor infernal. Diante da situação de sufoco, Fu pensou: “Ainda bem que o Ku não está sofrendo, como eu estou...”.
Depois de alguns dias de viagem, Fu chegou ao Brasil e logo arranjou emprego numa plantação de café, no interior de São Paulo. Dia após dia, começou a juntar uma graninha...
Com o trabalho garantido e com saudade do irmão, seis meses depois, Fu mandou dinheiro para que seu irmão também viesse para o Brasil, pois tinha certeza de que o Ku iria se dar muito bem.
O Ku arrumou seus "panos de bunda" e veio...
Tempos depois, Fu enamorou-se de uma mulher, que tinha uma filha.
Uma noite, ela e Fu foram passear no jardim e viram a filha dela beijando o Ku. Assim, quis o destino que Ku se apaixonasse pela filha da namorada do seu irmão, formando dois casais amorosos, sempre unidos e carinhosos; tanto que, enquanto a mãe gostava de acariciar o Fu, a filha gostava mesmo era de alisar os cabelos do Ku.
Num dia de sábado, os dois irmãos foram ao barbeiro. Enquanto o Fu lia o jornal e o barbeiro cortava o cabelo do Ku, um garoto passou vendendo flores. Ao vê-lo, Ku pediu a Fu que comprasse, e foi atendido, um botão da flor para a sua amada. Todos que estavam na barbearia ficaram encantados com a beleza e com o aroma do botão da rosa do Ku.
Tudo ia muito bem até que um cisco entrou no olho do Ku, causando uma tremenda irritação. Ele pediu ajuda ao irmão e, por mais que Fu soprasse no olho do Ku, não conseguia livrá-lo do tal cisco. Desesperado e nervoso com a situação, Fu terminou metendo o dedo no olho do Ku, piorando as coisas. E foi por causa disto, Ku passou a culpar o seu irmão pela doença que apareceu no seu olho.
Contrariado e aborrecido com o Ku, Fu resolveu fazer o caminho de volta e regressar para o seu país, deixando o Ku no Brasil. Mas, mesmo na hora da partida o sangue falou mais alto, ele chamou seus amigos e pediu:
- Por fazer, tratem bem o meu querido Ku.
Assim, se você encontrar com o ele e resolver ajudá-lo, atendendo ao pedido de Fu, tenha muito cuidado, não fique nervoso, senão você também termina metendo o dedo no olho do Ku.

Nenhum comentário:

Postar um comentário