domingo, 3 de janeiro de 2016

O MITO DO CARALHO DE ASAS

Texto de Mariana Nóbrega

Uma coisa é você resmungar: "caralho!". Outra coisa é você com muito mais ódio e com muito mais intensidade, dizer: "isto é um caralho de asas!".
O "caralho de asas" ou, para quem preferir, o "carai de asa", é uma expressão que denota muito mais poder que o simples caralho terrestre. Provavelmente mais popular no Nordeste brasileiro, o "caralho de asas" é mais que uma simples expressão de indignação: ele representa um ser que existe e vaga, oculto, mas sempre às voltas por este planeta.
O caralho de asas, assim como as baratas voadoras, é um perigo que amedronta de forma mais intensificada as mulheres. Uma coisa é uma barata; outra coisa é uma barata que voa.
O voo, o ato de voar, encanta a nós, seres humanos, incapazes de tal façanha, mas também representa o perigo, o mistério, o inesperado. Diante de um objeto voador nos encontramos vulneráveis, sem armas para combater as peripécias e a mobilidade mais avançada daquele ser estranho. 
Sendo assim, o caralho de asas é mais do que um caralho comum, é um caralho voador. Ele vaga por aí, geralmente de forma invisível, esperando qualquer vacilo de suas presas: as mulheres.
Fica então explicado por que ao sentar não se pode ficar de pernas abertas. Ainda que você esteja de calças e tudo esteja bem cobertinho, o caralho de asas pode estar por aí, rondando, esperando esse momento para dar o bote. Cruze-as sempre com bastante ênfase, porque ele perfura até jeans, desde C&A até Levi's. Caso você não obedeça a essa lição, tome cuidado porque você poderá ser mal interpretada: podem pensar que você está abrindo um chamado para a piroca voadora.
Dizem por aí que o maior perigo é quando se está de vestido. Se for daqueles curtos, então, pior ainda. Ouvi rumores que o objeto voador pode se materializar e não há desculpas para fugir dele. Roupas curtas são um ponto fraco desse pavão misterioso. Ah, decotadas também, ele encontra uma forma de se encaixar de qualquer jeito. Intrépido caralho-de-asas!
Uma mulher mencionar o caralho de asas é um perigo (what the hell am I doing here?).  O que dizem por aí é que falar sobre o assunto é um verdadeiro atrativo para esse ser invisível extremamente astucioso. Por isso, revelar a sua existência me coloca numa situação complicada. Há quem pense que o fato de mencioná-lo me torna próxima desse ente. Vão pensar por aí que ando interagindo ou pretendendo atrair uma penca de caralhinhos voadores.
Complicado.
O machismo criou o caralho de asas e desde então as mulheres não podem viver em paz. Ele está sempre por aí nos vigiando e batendo suas asinhas. Alguém precisa destruí-las!
O desafio está lançado. Seus dias estão contados, caralho alado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário