quinta-feira, 5 de maio de 2016

JULGANDO PELAS APARÊNCIAS...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Uma mulher, usando um vestido de algodão barato, e seu esposo, vestindo um humilde terno, desceram do trem em Boston, caminharam timidamente até ao escritório do Reitor da Universidade de Harvard e falaram com a secretária dele, mesmo sem ter uma reunião agendada. A secretária “adivinhou”, no mesmo instante, que esses camponeses vindos das florestas não tinham nada a fazer em Harvard.
- Gostaríamos de ver o Reitor - disse suavemente o homem.
- Ele está ocupado - respondeu a secretária.
- Vamos esperá-lo - replicou a mulher.
Durante horas a secretária os ignorou, esperando que o casal finalmente ficasse desanimado e se iria embora. Isso não aconteceu, e como a secretária viu aumentar a sua frustração, finalmente decidiu interromper o Reitor, mesmo sendo uma tarefa que ela sempre evitava: 
- Talvez se o senhor conversar com eles por alguns minutos eles se decidam ir embora...
Ele fez uma careta e concordou em falar-lhes. Alguém tão “importante” quanto ele, obviamente, não tinha tempo para atender pessoas com vestidos e ternos baratos.
Assim, o Reitor com a cara carrancuda e empolada dirigiu-se com passo arrogante até ao casal.
A senhora disse-lhe:
- Um filho nosso cursou Harvard somente por um ano. Ele amava Harvard. Ele era feliz aqui. Mas, um ano atrás ele morreu em um acidente. Meu esposo e eu desejaríamos erigir alguma coisa, em algum lugar do campus, em memória do nosso filho.
O reitor, que não se mostrou interessado, disse de forma áspera:
- Senhora, não podemos colocar uma estátua para cada aluno que cursou Harvard e tiver falecido. Se assim o fizermos, este lugar iria parecer um cemitério.
- Oh, não! Não desejamos levantar uma estátua. Pensamos em doar um edifício para Harvard - explicou a senhora rapidamente.
O Reitor revirou os olhos. Olhou com desdém para o vestido e o fato barato do casal e então falou: 
- Um edifício?! Vocês têm alguma ideia de quanto custa um edifício?! Gastamos mais de sete milhões e meio de dólares nos prédios aqui em Harvard!
A senhora ficou em silêncio por alguns instantes. O Reitor ficou feliz. Pensou que talvez agora poderia livrar-se desses dois.
A senhora olhou para seu esposo e disse suavemente: 
- Custa tão pouco fundar uma universidade? Por que não fundamos a nossa própria universidade?
Seu esposo concordou. O rosto do Reitor ficou fechado, confuso e desconcertado.
O Sr. Leland Stanford e sua esposa levantaram-se e voltaram para Palo Alto, Califórnia, onde estabeleceram a Universidade que tem o seu nome, a Universidade Stanford, em memória de seu filho, pelo qual Harvard não se interessou.
A universidade “Leland Stanford Junior” foi inaugurada em 1891, em Palo Alto. “Junior” por ser em homenagem ao falecido filho do rico senhor latifundiário. Esse foi seu “memorial”.
Hoje a universidade Stanford é a quarta melhor do mundo, e algumas vezes tem sido a segunda ou a número um do mundo, superando Harvard.

Nenhum comentário:

Postar um comentário