sábado, 17 de setembro de 2016

A BUNDA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 

Os responsáveis pela bunda, como ela é conhecida na atualidade, referindo-me ao conceito contemporâneo de bunda, ou seja, a bunda como ela é, são os africanos, mais especificamente, os angolanos e os cabo-verdianos. Para ser ainda mais preciso, as angolanas e as cabo-verdianas.
Foram elas, angolanas e cabo-verdianas, que, ao chegarem ao Brasil durante as trevas da escravatura, revolucionaram tudo o que se sabia sobre bunda, até então.
Foi assim:
Naquela época, a palavra "bunda" não existia. Os portugueses, quando queriam falar a respeito das nádegas de uma cachopa, diziam, exatamente isso, "nádegas" ou "região glútea", tanto faz.
Aí, os escravos angolanos e cabo-verdianos chegaram ao Brasil. Só que eles não eram conhecidos como angolanos nem cabo-verdianos: eram os "bantos", chamados "bundos", que falavam o idioma "ambundo", ou "quimbundo", a Língua Bunda, enfim.
Os "bundos", esses, em especial as mulheres "bundas", possuíam a tal região glútea muito mais sólida, avantajada e globosa.
Os portugueses, que não são parvos, logo deitaram os olhares para as nádegas das mulheres bundas. Assim, quando alguma delas passava diante de um grupo de portugueses, vinham logo os comentários:
- Que bunda!
Em pouco tempo, a palavra "bunda", antes designação de uma língua e de um povo, passou a ser sinônimo de "nádegas".
E assim nasceu a "bunda moderna"...

Nenhum comentário:

Postar um comentário