sexta-feira, 2 de junho de 2017

O ADVOGADO E O FIM DO NAMORO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Prezada senhorita, 
Maria da Silva Santos
Face aos últimos acontecimentos de nosso relacionamento, venho, por meio desta, na qualidade de homem que sou, apesar de Vossa Senhoria não me deixar demonstrar, uma vez que não me foi permitido devassar vossa lascívia, retratar-me formalmente de todos os termos até então empregados à sua pessoa.
Faço, com supedâneo, no que se segue:
• DA INICIAL MÁ-FÉ DE VOSSA SENHORIA, CONSIDERANDO QUE:
1. Nos conhecemos nas baladas noturnas e que nem precisei perguntar pelo seu nome direito, para logo chegar te beijando;
2. O seu olhar de tarada, de “mulher pidona” e mulher carente, enquanto dançava na pista, provocou-me e estimulou a minha aproximação;
3. Com os vários beijos nervosos que trocamos naquela noite, V.S. induziu-me a crer que logo estaríamos explorando nossos corpos, em incessante e incansável atividade sexual, fazendo com que eu passasse a desejar me encontrar com Vossa Senhoria.
• DOS PREJUÍZOS EXPERIMENTADOS, CONSIDERANDO QUE:
1. Sempre que fomos ao cinema eu paguei as entradas, sem falar nas pipocas, balas, refrigerantes e no jantar, após o filme;
2. Já levei Vossa Senhoria em boates mais badaladas e caras da nossa cidade, sendo certo que fui eu, de igual sorte, quem bancou todos os gastos;
3. Até a praia já fomos juntos, sem que V. S. gastasse um centavos sequer e que Vossa Senhoria não quis nem colocar o biquíni, alegando que estava ventando muito.
• DAS RAZÕES DE SER DO PRESENTE, CONSIDERANDO QUE:
1. Até a presente data, após o longínquo prazo de duas semanas, Vossa Senhoria não me deixou tocar, sequer, na sua panturrilha;
2. Vossa Senhoria ainda não me deixa encostar a mão nem na sua cintura, com a alegação barata de que sente cócegas,
3. Vossa Senhoria diz constantemente que “comigo, só depois de casar...”.
• DECIDO SOBRE O NOSSO RELACIONAMENTO O SEGUINTE:
1. “Vá até a mulher de vida airada, que também é sua progenitora”, pois eu não sou mais um ser humano do sexo masculino que usa calças curtas, como também a atividade sexual não é para mim um lazer, mas sim, uma necessidade premente;
2. Não me venha com colóquios flácidos para acalentar bovinos de que Vossa Senhoria pensava que eu era diferente;
3. Saiba que vou te processar por me iludir, aparentando ser a mulher dos meus sonhos quando, na verdade, só me fez perder tempo, dinheiro e jogar elogios fora, além de me abalar emocionalmente;
4. Fique com o meu cordial “vá tomar no meio do orifício rugoso, localizado na região ínfero-lombar de sua anatomia”, que esse relacionamento inflou minha bolsa escrotal!
Dou assim por encerrado o nosso relacionamento, nada mais subsistindo entre nós, salvo o dever de indenização pelos prejuízos causados, pois, salvo melhor juízo, é o nosso entendimento.
Sem mais para o momento,
DR. BAB ACA AKI
        OAB 007-24

Nenhum comentário:

Postar um comentário