quinta-feira, 5 de março de 2015

FUGINDO DO PAU

AUTORIA: ALOISIO GUIMARÃES

A nigeriana Aisha Dannupawa, moradora em Zamfara, se casou com Ali Maizinari logo depois de se divorciar do seu primeiro marido. Mas, se arrependimento matasse, ela já tinha morrido há muito tempo: somente descobriu, na lua-de-mel, que o seu novo marido era um verdadeiro “jumento”, tornando a sua noite de núpcias em um verdadeiro filme de terror.
Com medo, ela já entrou com o pedido de divórcio.
- Quando ele me chama para fazer sexo, é um verdadeiro pesadelo porque, ao invés de ser proveitoso, é horrível para mim porque seu pênis é muito grande
Ela declarou que tentou continuar transando com o marido, usando medicamentos e por conselho da sua mãe:
- Minha mãe disse que com o tempo eu me acostumaria, mas depois da segunda vez percebi que era demais para eu suportar.
Maizinari, o marido, confirmou tudo, mas disse que somente se divorciaria se recebesse o dinheiro que ele gastou na cerimônia de casamento de volta, porque os dois passaram pouco tempo casados.
Para comentar o texto basta clicar na palavra "COMENTÁRIOS" aí embaixo:

CAMISETAS NO CAMPUS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Tudo começou quando a turma de estudantes de Direito resolveu colocar uma frase em uma camiseta:
 - Seu namorado faz direito?  Vem cá, que eu faço.
A partir daí, os estudantes dos demais cursos resolveram partir para uma guerra de criatividade:
• OS FUTUROS E PREPOTENTES MÉDICOS
- Ele pode até fazer direito, mas ninguém conhece seu corpo melhor que eu.
• A RAPAZIADA DE GEOGRAFIA
- Uns até que podem fazer direito; outros até podem conhecer o seu corpo; mas, somente nós, sabemos a localização exata do seu Ponto G.
• O PESSOAL DE ADMINISTRAÇÃO
- Não adianta conhecer o corpo, saber se localizar e fazer direito, se não souber administrar o que tem.
• AGRONOMIA, JOGANDO PESADO
- Uns conhecem dizem bem; outros dizem fazer direito; outros sabem localizar; e alguns, sabem administrar o que tem, mas, plantar a mandioca como nós, ninguém consegue!
• OS FUTUROS PUBLICITÁRIOS
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar e plantar a mandioca se depois não puder contar pra todo mundo?
• A MOLECAGEM DA TURMA DE FÍSICA
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca e poder contar pra todo mundo se não tiver energia e potência para fazer várias vezes?
• A EXATIDÃO DA TURMA DE MATEMÁTICA
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, se somente nós temos a medida certa?
• OS FUTUROS ARQUITETOS, QUERENDO DEMONSTRAR MACHISMO
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, ter a medida certa e não ter a nossa criatividade?
• A TURMA DE ECONOMIA, CURTA E GROSSA
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, saber plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, ter a medida certa e ser criativo, se mulher gosta mesmo é de dinheiro?
• A TURMA DE COMPUTAÇÃO, COM COMPLEXO DE SUPERIORIDADE
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, saber plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, ter a medida certa, ser criativo e ter dinheiro, se somente nós podemos dar prazer real e virtual?
• A TURMA DE ENGENHARIA, DO ALTO DA SUA SABEDORIA
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, saber plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, ter a medida certa, ser criativo e ter dinheiro, dar prazer real e virtual, se somente os engenheiros sabem como recuperar os estragos que os outros fazem?
• OS FUTUROS QUÍMICOS, METIDOS A BESTAS
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, saber plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, ter a medida certa, ser criativo e ter dinheiro, dar prazer real e virtual, saber como recuperar estragos, se uma relação, para dar certo, precisa ter "química"?
• A TURMA DE PSICOLOGIA, METIDA A GARANHÃO
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, fazer direito, saber administrar, saber plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência, ter a medida certa, ser criativo e ter dinheiro, dar prazer real e virtual, saber como recuperar estragos, ter química e não estar preparado psicologicamente?
Diante de tanta gozação masculina, as meninas de NUTRIÇÃO resolveram dar o troco e escreveram:
- De que adianta conhecer bem, saber localizar, saber fazer direito, saber administrar, plantar a mandioca, poder contar pra todo mundo, ter energia e potência para fazer várias vezes, ter a medida certa, ser criativo, ter dinheiro, dar prazer real e virtual, saber recuperar estrago, ter química e estar preparado psicologicamente se, no final das contas, a gente sempre precisa ensinar a comer!
Para comentar o texto, basta clicar na palavra "COMENTÁRIOS" aí embaixo:

quarta-feira, 4 de março de 2015

FLIZ ANVERS

AUTORIA: RENATO HOLZ

Minha filha completou quinze anos e organizamos a festa em um salão para que convidasse todos os seus amigos.
Nessa noite, à medida que iam chegando, se acomodavam no lugar designado e em seguida abriam seus celulares e começavam a conversar, por meio de mensagens de texto, ou a jogar com esses aparatos maravilhosos, entre mensagens e mensagens.
Era muito comovente vê-los concentrados, cada um na tela de seus sóbrios e negros aparatos, como especificava o convite: “Esporte elegante e celulares negros”.
Que grandes estão todos! E pensar que os conheço desde que falavam entre eles. Todavia me recordo da voz deles. Alguns não acreditam que quando eram crianças falavam e se olhavam nos olhos.
Eu não os corrigia, é claro... “Já vão crescer e vão aprender sozinhos a não falar”, pensava.
Quando chegou o momento do baile, cada um conectou os auriculares ao seu celular, escolheu a lista de músicas que mais gostava e entrou na pista de dança. Dava a sensação de que todos estavam bailando ao som da mesma música.
A entrada de minha filha foi apoteótica, exultante de emoção. Seus amigos se desesperavam por serem os primeiros em fazer-lhe chegar seu texto de felicitações, movendo a toda velocidade seus dedos. Alguns, os mais precavidos, já tinham a mensagem preparada e o único que deviam fazer era apertar “ok”.
O telefone de minha filha não parava de vibrar e como era impossível lê-los todos, guardou alguns para mais tarde.
Aproximei-me dela e, sem me dar conta, lhe disse:
- Feliz aniversário, filhinha.
Ela me olhou horrorizada e se afastou de mim. Preocupado, fui atrás dela e lhe perguntei se lhe passava algo, se havia feito algo que a incomodara. Tomou o celular e me mandou uma mensagem de texto:
- Qres m envrgonr frnte ms amgs? Fçme o fvor, pra q exst os tlfnes?
Não tive mais remédio que abrir o meu celular e mandar-lhe as minhas felicitações.
- Prdao. Fliz anvers, filnha. T am. Papa.
Foi um aniversário perfeito!
Como passa o tempo e que "velho" estou.
Pensar que quase lhe dou um beijo..
Para comentar o texto, basta clicar na palavra "COMENTÁRIOS" aí embaixo:

terça-feira, 3 de março de 2015

BATE-BOCA NA GUERRA DOS SEXOS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES - RECEBIDO POR E-MAIL

M: Dirigimos melhor...
H: Melhor que cegos!
M: Não ficamos carecas...
H: Se cabelo fosse bom não nascia embaixo do braço.
M: Temos um dia internacional...
H: Os outros 364 são nossos!
M: Temos prioridade em botes salva-vidas...
H: Nós sabemos nadar!
M: Uma greve de sexo consegue qualquer coisa...
H: Inclusive um par de chifres.
M: A programação da TV é 90% voltada pra nós...
H: Nós temos DVD e sabemos usar!
M: Somos os primeiros reféns a serem libertados...
H: Porque nem sequestradores aguentam vocês!
M: A idade não atrapalha nosso desempenho sexual...
H: Mas atrapalha para arrumar parceiro sexual!
M: Somos nós que somos carregadas na noite de núpcias...
H: Caso contrário vocês podem se perder!
M: Se somos traí­das, somos vítimas; se traímos, eles são cornos...
H: Se somos traídos vocês são putas, se traímos somos garanhões!
M: Somos capazes de prestar atenção a várias coisas ao mesmo tempo...
H: Mas incapazes de executar ao menos uma completa de cada vez!
M: 98% da indústria de cosméticos e 89% da indústria da moda são voltadas para nós...
H: 98% da indústria de cerveja e 89% da indústria automobilística são voltadas para nós!
M: 99% dos homens não cuidam da aparência pessoal...
H: 99% da beleza feminina saem com água e sabão!
M: Não nos desesperamos em frente a um campo de grama com 1 bola e 22 mulheres...
H: Nós não nos desesperamos frente ao pedal da embreagem!
M: Fazemos tudo o que um homem faz... E de salto alto!
H: Quero ver é mijar em pé!
M: Podemos dormir com nossas amigas sem sermos chamadas de lésbicas...
H: Podemos dormir com suas amigas sem que elas contem pra vocês! 
Para comentar o texto, basta clicar na palavra "COMENTÁRIOS" aí embaixo:

segunda-feira, 2 de março de 2015

O MESTRE DJUNAID

AUTORIA: DESCONHECIDA - RECEBIDO POR E-MAIL

O mestre Djunaid tinha um jovem discípulo de quem gostava muito, mais até do que de todos os outros. Essa preferência acabou por despertar ciúmes entre seus seguidores mais antigos.
O mestre, como conhecia os corações dos homens, rapidamente se deu conta disso e reuniu os discípulos descontentes e disse:
- Apesar de muito jovem, sei que ele é superior a vocês, tanto em bondade como em compreensão. Confio inteiramente nele. Mas, se estiver enganado, quero que vocês apontem meu erro. Assim sendo, mudarei de opinião.
Dizendo isso, propôs um único teste para todos. Radiantes com a oportunidade, os mais antigos aceitaram prontamente o desafio.
Então, o mestre ordenou que trouxessem 20 pássaros. E disse aos discípulos:
- Cada um de vocês pegue um pássaro, leve-o a um lugar onde ninguém os veja, mate-o e traga-o imediatamente para que eu possa atestar que a ordem foi cumprida.
Todos os discípulos, ansiosos para provar que também eram dignos da confiança de seu mestre, saíram, mataram os pássaros e os trouxeram de volta. Todos, exceto o discípulo favorito. Ele regressou com seu pássaro vivo, que carinhosamente aninhava em suas mãos.
- Por que não o matou? - perguntou o mestre.
- Porque o Mestre disse que teria de fazê-lo em um lugar onde ninguém pudesse nos ver, mas em todos os lugares a que fui o olhar de Alá estava sempre presente... - respondeu.
Voltando-se para o restante dos discípulos, o mestre Djunaid exclamou:
- Essa é a medida da compreensão dele! Agora podem compará-la com a de vocês!
Os seguidores mais antigos então se ajoelharam e pediram perdão a Alá por sua ignorância. E reconheceram a grandeza do coração do jovem aprendiz.
Para comentar o texto, basta clicar na palavra "COMENTÁRIOS" aí embaixo:

domingo, 1 de março de 2015

BAJULAÇÃO NA PARAÍBA

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O causo que contarei abaixo é dedicado ao meu amigo Sávio Máximo, um paraibano da gema, muito embora esteja radicado em Alagoas há muitos anos.
Para um melhor entendimento do texto, por parte daqueles homens mais puros e das moças donzelas e recatadas, devo esclarecer que o termo "maranhão" (em algumas regiões do nordeste brasileiro) assim como "caralho-de-asas" (em todo Brasil), dizem respeito ao órgão reprodutor masculino, ou seja, o pênis.

Isto posto, vamos aos fatos:

Contam que José Maranhão, ex-governador da Paraíba, conhecia um pouco de aviação uma vez que tinha sido piloto de avião. E foi graças aos seus conhecimentos aeronáuticos que ele conseguiu evitar um superfaturamento de 80% em um serviço mecânico realizado no avião do governo do estado, quando, pessoalmente, fiscalizou a execução dos serviços.
A Secretaria de Imprensa do governo paraibano tratou de logo de alardear, aos quatro cantos, a atitude do governador, dando ares de heroísmo e austeridade administrativa, procurando passar essa imagem do governador para todo o Brasil.
Depois disto, os bajuladores de plantão, aonde quer que fosse o governador, passaram a cumprimentá-lo sempre associando a sua pessoa ao tema "aeronáutica".
Durante uma visita ao sertão paraibano, o governador foi recebido por várias autoridades da região, que foram cumprimentá-lo. E, como sempre acontece, um bebum, "inxirido", também estava presente e fazia questão de apertar a mão do honesto governador.
Começa a sessão de beija-mão, onde cada um dos "lambe-botas", saúda o governador à sua maneira:
- Governador Maranhão, o senhor é a verdadeira "Águia da austeridade"!
- Governador Maranhão, o senhor é um verdadeiro "Santos Dumont da aviação"!
- Governador Maranhão, o senhor é um verdadeiro "Falcão voador"!
- Governador Maranhão, o senhor é um verdadeiro "Condor dos ares"!
Ao ouvir tanta baboseira de políticos querendo agradar ao governador para conseguir uma boquinha nas tetas do estado, o bêbado grita, para todo mundo ouvir:
- Governador, o senhor já não é mais nenhum "maranhão", o senhor é um verdadeiro "carai-de-asa"!
Para comentar o texto, basta clicar na palavra "COMENTÁRIOS" aí embaixo: