sábado, 23 de julho de 2016

SECRETÁRIA ELETRÔNICA DA VOVÓ

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

- Bom dia! No momento, eu não estou em casa, mas, por favor, deixe a sua mensagem depois de ouvir o sinal:
· Se é um de meus filhos, disque 1;
· Se precisa que eu fique com as crianças, disque 2;
· Se quer o carro emprestado, disque 3;
· Se quer que eu lave e passe a roupa, disque 4;
· Se quer que as crianças durmam aqui em casa, disque 5;
· Se quer que busque na escola, disque 6;
· Se quer que eu prepare uns bolinhos para domingo, disque 7;
· Se querem vir comer aqui em casa, disque 8;
· Se precisa de dinheiro, disque 9;
· Se é um das minhas amigas, pode falar...

sexta-feira, 22 de julho de 2016

NÃO ESQUEÇA DE TROCAR O ÓLEO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O casamento de um idoso, com 83 anos, com uma rapariga de 20 anos, foi o motivo de todas as conversas na cidade.
Um ano depois do casamento, o casal apresenta-se no hospital para o nascimento do seu primeiro filho. A parteira sai da sala de partos para felicitar o velhote e diz-lhe:
- É espantoso! Como é que o senhor consegue, na sua idade?!
O velho sorri e diz:
- Tem de se manter o motor a trabalhar…
No ano seguinte, o casal aparece de novo no hospital para o nascimento do segundo filho. A mesma enfermeira acompanha o parto e sai para felicitar o nosso velhote, dizendo-lhe:
- O senhor é incrível! Como é que consegue?!
O velho sorri e diz:
- Tem de se manter o motor a trabalhar…
Mais um ano e o casal aparece no mesmo hospital, para o nascimento do terceiro filho. A mesma enfermeira acompanha uma vez mais o parto e, após o nascimento, vai de novo ter com o velhote, sorri-lhe e diz:
- O senhor é mesmo incrível! Como é que consegue?!
O velho sorri e diz:
- É como já lhe disse, tem de se manter o motor a trabalhar…
A enfermeira continua a sorrir, dá-lhe uma pancadinha nas costas e diz-lhe:
- É bom trocar o óleo, este já saiu bem queimado!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

A MORTE DE UM INOCENTE

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Eu fui a uma festa. mãe. Eu lembrei do que você me disse. Você me disse para eu não beber, e eu não bebi, mãe. Eu me senti orgulhosa de mim como você me disse que eu me sentiria.
Antes de dirigir, eu não bebi, mãe, embora alguns amigos insistissem para que eu bebesse, eu não bebi. Eu agi certo, mãe, e sei que você sempre esteve certa.
A festa foi acabando, mãe, e os amigos foram saindo. Quando eu entrei no carro eu acreditei que logo chegaria em casa e inteira, mãe! Isso por causa do jeito responsável e doce que você me criou. Eu dei partida, mãe, e assim que entrei na avenida, um outro carro não me viu, bateu forte e eu fui lançada para fora. Aqui, no solo da avenida, enquanto o socorro não vinha, eu escutei um policial dizer que o outro motorista estava bêbado. E agora sou quem pago por isso. Estou morrendo aqui, mãe. Eu gostaria que você chegasse logo.
Como isso pôde me acontecer, mãe? Minha vida simplesmente se queimar como um balão? Há sangue por toda parte, mãe, e a maior parte deste sangue é o meu sangue. E agora eu escuto o médico dizer que morrerei em poucos minutos. Eu só queria lhe dizer, mãe, jurar que não bebi. Os outros, sim. Mãe, eles não pensaram. Aquele que me atingiu provavelmente estava na mesma festa que eu. A diferença, mãe, é que ele bebeu e sou eu quem vai morrer.
Por que existe gente assim, mãe? Eles não percebem que podem arruinar a própria vida?
Estou sentindo dores agudas, mãe. O cara que me atingiu está andando e eu não consigo achar isso justo. Eu morrendo aqui e tudo o que ele faz é ficar ali parado me olhando.
Diga ao meu irmão para não chorar e para o papai não ficar bravo comigo. E quando eu partir, mãe, ponha flores no meu sepulcro. Alguém deveria ter avisado a este cara para não beber antes de dirigir. Se ele não tivesse bebido, eu ainda poderia continuar viva. Minha respiração está enfraquecendo, mãe. Estou ficando com medo.
Por favor, não chore por mim. Sempre que precisei, você não falhou. Eu só tenho uma última pergunta antes de me despedir:
- Eu não bebi antes de dirigir, então por que sou eu quem vai morrer?
Este é o fim. Eu gostaria de poder olhar nos seus olhos para dizer estas palavras finais:
- Eu te amo. Adeus.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

O TEMPO E O RIO

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

O tempo é como um rio. Você nunca poderá tocar na mesma água duas vezes, porque a água que já passou, nunca passará novamente.
Aproveite cada minuto de sua vida e lembre-se: nunca busque boas aparências, porque elas mudam com o tempo; não procure pessoas perfeitas, porque elas não existem; mas, busque acima de tudo, um alguém que saiba o seu verdadeiro valor.
Tenham quatro amores: Deus, a vida, a família e os amigos. Deus, porque é o dono da vida; a vida, porque é curta; a família, porque é única; e os amigos, porque são raros!

terça-feira, 19 de julho de 2016

O JORNAL

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES 
O jornal impresso em papel, como sempre o conhecemos, realmente não poderá nunca ser substituído pela internet. A seguir, alguns dos importantes usos do jornal:
USO DOMÉSTICO:
· Cobrir bananas ou abacate para amadurecer.
· Recolher lixo.
· Limpar vidros.
· Dobradinho, serve para alinhar os pés da mesa.
· Embrulhar louças numa mudança.
· Recolher a caca do cachorro.
· Forrar a gaiola do passarinho.
· Cobrir os móveis e o chão antes de pintar a casa.
· Evitar que entre água por baixo da porta.
· Proteger o chão da garagem quando o carro está a pingar óleo.
· Embrulhar o tacho do arroz para o manter quente.
· Fazer palmilhas para os sapatos para os dias frios e chuvosos.
· Matar moscas, baratas e demais insetos.
· Na época da crise económica, usá-lo como papel higiénico, mesmo sendo um pouco duro.
USO EDUCATIVO:
· Bater no focinho do cão quando faz xixi dentro de casa.
· Fazer barquinhos de papel.
· Arrancar um pedacinho em branco para anotar um número de telefone.
USO COMERCIAL:
· Alargar os sapatos.
· Encher carteiras de senhora para conservar a forma.
· Embrulhar peixes.
· Embrulhar pregos na loja de produtos para construção.
· Rechear a caixa de embalagem.
· Fazer um chapeuzinho para o pintor.
· Cortar moldes para o alfaiate ou para a costureira.
· Embrulhar quadros.
· Embrulhar flores.
USO FESTIVO:
· Acender a churrasqueira ou a lareira.
· Rechear a caixa do presente-surpresa.
OUTROS USOS:
· Fazer bolinhas para atirar aos companheiros de classe.
· Fazer uma capinha para o machado ou foice.
· Fazer bola de futebol de rua.
· Nos filmes, para os bandidos esconderem o revólver.
· Para te esconderes atrás dele, quando não queres que te vejam.
· Ah, e por último: para ler as notícias!
- Alguém consegue fazer isto tudo com o computador?