quarta-feira, 30 de setembro de 2015

O AÇÚCAR

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Certo dia, a professora perguntou às crianças quem saberia explicar quem é Deus. Uma das crianças, chamada Arthur, levantou o braço e disse:
- Deus é o nosso pai, fez a terra, o mar e tudo que está nela e Ele nos fez como filhos Dele.
A professora, querendo buscar mais respostas, foi mais longe:
- Como você sabe que Deus existe, se nunca o viu?
A sala ficou toda em silêncio...
Arthur que é um menino muito inteligente, levantou a sua mão e disse:
- A minha mãe e meu pai me disseram que Deus é como o açúcar no meu leite que ela faz todas as manhãs. Eu não vejo o açúcar que está dentro da caneca no meio do leite, mas se eles tiram, fica sem sabor. Deus existe, e está sempre no nosso meio, só que não o vemos, mas se Ele sair de perto, nossa vida fica sem sabor algum.
A professora sorriu, e disse:
- Muito bem Arthur, eu ensinei muitas coisas a vocês, mas você me ensinou algo mais profundo que tudo o que eu já sabia. Eu agora sei que Deus é o nosso açúcar e está todos os dias adoçando a nossa vida!
Deu-lhe um beijo e saiu surpresa com a resposta daquele menino muito esperto.
PARA REFLETIR:
A Sabedoria não está só no Conhecimento, mas na vivência de nosso Criador em nossa vida, pois teorias existem muitas, mas doçura como a de Deus não existe ainda e nem existirá nos melhores açúcares. Portanto, não esqueça de colocar "Açúcar" em sua vida, hoje e sempre!

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

POR QUE OS CÃES VIVEM MENOS?

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Por que os cães vivem menos que as pessoas? Aqui está a resposta, dada por uma criança de apenas seis anos:
Sendo um veterinário, fui chamado para examinar um cão irlandês de 13 anos de idade chamado Belker. Ron, sua esposa Lisa e seu pequeno Shane, eram muito ligados a Belker e esperavam por um milagre.
Examinei Belker e descobri que ele estava morrendo de câncer. Eu disse à família que não poderia fazer nada por Belker, e me ofereci para realizar o procedimento de eutanásia em sua casa.
No dia seguinte, eu senti a sensação familiar na minha garganta quando Belker foi cercado pela família. Shane parecia tão calmo, acariciando o cão pela última vez, e eu me perguntava se ele entendia o que estava acontecendo. Em poucos minutos, Belker caiu pacificamente dormindo para nunca mais acordar.
O garotinho parecia aceitar a transição de Belker sem dificuldade. Sentamo-nos por um momento nos perguntando por que do infeliz fato de que a vida dos cães é mais curta do que a dos seres humanos.
Shane, que tinha estado escutando atentamente, disse:
- Eu sei porquê.
O que ele disse depois me espantou. Eu nunca tinha escutado uma explicação mais reconfortante do que essa. Este momento mudou minha maneira de ver a vida. Ele disse:
- A gente vem ao mundo para aprender a viver uma boa vida, como amar aos outros o tempo todo e ser boa pessoa, né?! Como os cães já nascem sabendo fazer tudo isso, eles não têm que viver por tanto tempo como nós.
O moral da história é que, se um cão fosse seu professor, você aprenderia coisas como:
· Quando teus entes queridos chegarem em casa, sempre corra para cumprimentá-los.
· Nunca deixe passar uma oportunidade de ir passear.
· Permita que a experiência do ar fresco e do vento, na sua cara, seja de puro êxtase.
· Tire cochilos.
· Alongue-se antes de se levantar.
· Corra, salte e brinque diariamente.
· Melhore a sua atenção e deixe as pessoas te tocarem.
· Evite "morder" quando apenas um "rosnado" seria suficiente.
· Em dias quentes, deite-se de costas sobre a grama.
· Em um clima muito quente, beba muita água e deite-se na sombra de uma árvore frondosa.
· Quando você estiver feliz, dance movendo todo o seu corpo.
· Delicie-se com a simples alegria de uma longa caminhada.
· Seja fiel.
· Nunca pretenda ser algo que não é.
· Se o que você quer, está "enterrado", cave até encontrar.
E nunca se esqueça: Quando alguém tiver um mal dia, fique em silêncio, sente-se próximo e suavemente faça-o sentir que está aí...
Este é o segredo da felicidade que os cães todos os dias nos ensinam.

domingo, 27 de setembro de 2015

BRAZIL... ZIL... ZIL

Texto de Luiz Ferreira da Silva  
  ENGENHEIRO AGRÔNOMO E ESCRITOR

Sexo, Drogas e Rock and Roll. Os americanos são um exemplo de capitalismo nota dez. Eles bolam as coisas mais estapafúrdias e faz o mundo inteiro comprar e aplaudir. Se eles jogassem bola faturariam adoidado com o Futebol e ninguém ganharia para eles. Praticam um tal Futebol Americano que rende mais que a FIFA. Eles chegaram ao cúmulo de inventar uma bebida. O mundo todo tomando suco de frutas e aparece uma coca cola inventada. Alguém já viu um pé de Coca-Cola? De manga, cajá, etc.; sim! E o Hambúrguer?
O americano inventa e os “macaquitos” absorvem, como nós brasileiros. O Rock and Roll é uma dessas invenções associada a tudo que não presta em matéria de vícios e péssima música ao gosto dos Otorrinos. Aí, juventude brasileira embarcou na tríade, como COLONIZADOS que somos.
Rock in Rio. E não temos o nosso Samba in Rio ou Brasil. O samba para exportar e fazer o mundo dançar Cartola, Ary Barroso, Dona Ivone Lara, Martinho, Lupicínio, Jobim, Ataulfo Alves e tantos mais. Um festival internacional com temas discursivos para os Universitários e para a juventude reverenciar as raízes da música brasileira. Os Argentinos fazem isso com o Tango. Presentemente está sendo realizado O Festival Internacional do Tango em La Boca. Mas não pensem que os americanos se babam por rock. Eles sabem dar valor aos seus grandes músicos e cantores. Meses atrás promoveram os 100 anos da Cantora Bill Holiday, rainha do Jazz, já falecida. E aqui, Maceió fez uma exposição dos Beatles. Nunca se fizera do Chico Alves, da Dalva de Oliveira...
Em síntese, como sempre diz o "letrado" Tiririca:
- UM BANDO DE ABESTADOS!

sábado, 26 de setembro de 2015

A CANETA DE DEUS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

A mulher deu um pulo assim que viu o cirurgião a sair da sala de operações e perguntou:
- Como é que está o meu filho? Ele vai ficar bom? Quando é que eu posso vê-lo?
O cirurgião respondeu:
- Sinto muito. Fizemos tudo, mas o seu filho não resistiu.
Sally perguntou:
- Porque razão é que as crianças pequenas têm câncer? Será que Deus não se preocupa? Aonde estavas Tu, Deus, quando o meu filho necessitava?
O cirurgião perguntou:
- Quer algum tempo com o seu filho? Uma das enfermeiras irá trazê-lo dentro de alguns minutos e depois será transportado para a Universidade.
Sally pediu à enfermeira para ficar com ela enquanto se despedia do seu filho. Passou os dedos pelo cabelo ruivo do seu filho.
- Quer um cachinho dele? - perguntou a enfermeira.
Sally abanou a cabeça afirmativamente. A enfermeira cortou o cabelo e colocou-o num saco de plástico, entregando-o a Sally.
- Foi ideia do Jimmy doar o seu corpo à Universidade porque assim talvez pudesse ajudar outra pessoa, disse Sally. No início eu disse que não, mas o Jimmy respondeu “Mãe, eu não vou necessitar do meu corpo depois de morrer. Talvez possa ajudar outro menino a ficar mais um dia com a sua mãe”.
Ela continuou:
- O meu Jimmy tinha um coração de ouro. Estava sempre pensando nos outros. Sempre disposto a ajudar, se pudesse.
Depois de ter passado a maior parte dos últimos seis meses, Sally saiu do Hospital Children's Mercy pela última vez. Colocou o saco com as coisas do seu filho no banco do carro ao lado dela.
A viagem para casa foi muito difícil. Foi ainda mais difícil entrar na casa vazia. Levou o saco com as coisas de Jimmy, incluindo o cabelo, para o quarto do seu filho. Começou a colocar os carros e as outras coisas no quarto exatamente nos locais onde ele sempre os teve. Deitou-se na cama dele, agarrou a almofada e chorou até que adormeceu.
Era quase meia-noite quando acordou e ao lado dela estava uma carta. A carta dizia:
“Querida Mãe,
Sei que vai ter muitas saudades minhas; mas não pense que vou esquecer de você, ou que vou deixar de te amar só porque não estou por perto para dizer "Te amo". Eu vou sempre te amar cada vez mais, Mãe, a cada dia que passe. Um dia vamos estar juntos de novo. Mas até chegar esse dia, se quiser adotar um menino para não ficar tão sozinha, por mim está bem. Ele pode ficar com o meu quarto e as minhas coisas para brincar. Mas se preferir uma menina, ela talvez não vá gostar das mesmas coisas que nós, garotos, gostamos. Vai ter que comprar bonecas e outras coisas que as meninas gostam, você sabe. Não fique triste pensando em mim. Este lugar é mesmo fantástico! Os avós vieram me receber assim que eu cheguei para me mostrar tudo, mas vai demorar muito tempo para eu poder ver tudo. Os Anjos são mesmo lindos! Adoro vê-los a voar! E sabe de uma coisa? Jesus não parece nada como se vê nas fotos, embora quando O vi, O tenha conhecido logo. Ele levou-me a visitar Deus! E sabe de uma coisa? Sentei-me no colo d'Ele e falei com Ele, como se eu fosse uma pessoa importante. Foi quando lhe disse que queria escrever esta carta, para te dizer adeus e tudo mais. Mas eu já sabia que não era permitido. Mas sabe de uma coisa, mãe? Deus entregou-me papel e a sua caneta pessoal para eu poder te escrever esta carta. Acho que Gabriel é o anjo que te vai entregar a carta. Deus disse para eu responder a uma das perguntas que você Lhe fez, "Aonde estava Ele quando eu mais precisava?"  Deus disse que estava no mesmo lugar, tal e qual, quando o filho dele, Jesus, foi crucificado. Ele estava presente, tal e qual como está com todos os filhos dele. Mãe, só você é que consegue ver o que eu escrevi, mais ninguém. As outras pessoas veem este papel em branco. É mesmo maravilhoso não é!? Eu tenho que dar a caneta de volta a Deus para ele poder continuar a escrever no seu Livro da Vida. Esta noite vou jantar na mesma mesa com Jesus. Tenho a certeza que a comida vai ser boa. Estava quase esquecendo: já não tenho dores, o câncer já foi embora. Ainda bem, porque já não podia mais e Deus também não podia ver-me assim. Foi quando ele enviou o Anjo da Misericórdia para me vir buscar. O anjo disse que eu era uma encomenda especial! O que acha disto?
Assinado com Amor de Deus, Jesus e de mim”.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

DESEJO...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Que você consiga uma casa maior, mas que quase todos os cômodos fiquem vazios por sua família estar unida ao redor de uma única mesa.
Que você compre o carro dos seus sonhos, e descubra que ele pode ficar parado na garagem enquanto você caminha de mãos dadas por um parque.
Que você realize o desejo de comprar uma TV enorme, 3D, com home theater, mas que ela permaneça desligada durante o jantar, para que você possa ouvir como foi maravilhoso o dia da sua família.
Que sua conta bancária esteja satisfatoriamente recheada, mas sobretudo, que você tenha em seu bolso um ou dois reais para comprar algodão doce e saboreá-lo sujando os dedos.
Que você tenha um excelente plano de saúde, mas que se esqueça que ele existe por não precisar usá-lo.
Que você jante em badalados restaurantes para descobrir que a maior chef que existe, cozinha todos os dias dentro da sua casa.
Que sua internet trafegue em altíssima velocidade, mas que sua melhor rede seja aquela pendurada entre duas árvores, onde você possa ouvir os pássaros cantarem.
Que você tenha um smartphone de última geração, mas que não precise usá-lo para dizer às pessoas mais importantes da sua vida o quanto elas são especiais.
Que você tenha um tablet, mas que use mais as pontas dos seus dedos para fazer cafunés do que para mandar e-mails.
Que você possa comprar boas roupas, bolsas e relógios, mas que sua verdadeira marca seja a "inspiração" deixada pelos lugares por onde passará.
E assim, conquistando tudo o que você sempre quis, você descubra que mais importante do que aquilo que você tem, é o que você faz com tudo o que conquistou.
Bom e inspirado dia, aproveitem com vossas famílias!

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

DIA DA ÁRVORE 2015

Texto de Luiz Ferreira da Silva
  ENGENHEIRO AGRÔNOMO E ESCRITOR
 
Há 5 anos organizo o Dia da Árvore no Condomínio Bahama, Barra de São Miguel, Alagoas. Neste evento crianças selecionadas plantam e se identificam através de placas alusivas.

Visando uma interação com a sociedade local, convidamos alunos das Escolas Públicas que plantam também representando os seus educandários. Neste ano (19 de setembro) computamos 62 árvores, de 2011 a 2015, com o plantio de duas jaqueiras; duas cajaranas; três graviolas; dois araçás; duas acerolas e duas goiabeiras.
Dessa forma, a intenção é criar uma consciência ecológica, pois temo que daqui uns anos mais as crianças passem a pensar que as frutas, os legumes e as verduras nascem nas gôndolas dos hipermercados.
ODE À ÀRVORE
Sou eu quem dá vida ao solo
Finco minhas raízes e extraio os alimentos
Expando minha área foliar
Produzo frutos bentos
Lanço as folhas ao chão
Num processo de reciclagem plena
A matéria orgânica melhora o solo
Os microrganismos aparecem em cena
Aparo a força da chuva
A água escorre sem provocar erosão
Infiltra-se e alimenta os córregos
O ciclo se completa então
Dou sombra e abrigo os pássaros
Mantenho a umidade ambiental
Ventilo ao balançar da folhagem
Emano e distribuo energia geral
Também absorvo o carbono danoso
Em contraposição, produzo o oxigênio vital
Cabe ao homem fazer a sua parte
Minha contribuição é gratuita e sem igual.
(Luiz Ferreira da Silva)


A IDADE DO VOVÔ

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Uma tarde o neto conversava com seu avô sobre os acontecimentos e, de repente, perguntou:
- Quantos anos você tem, vovô?
E o avô respondeu:
- Bem, deixa-me pensar um pouco... Nasci antes da televisão, das vacinas contra a pólio, comidas congeladas, foto copiadora, lentes de contato e pílula anticoncepcional. Não existiam radares, cartões de crédito, raio laser nem patins on line. Não se havia inventado ar condicionado, lavadora, secadoras (as roupas simplesmente secavam ao vento). O homem nem havia chegado à lua, "gay" era uma palavra inglesa que significava uma pessoa contente, alegre e divertida, não homossexual. Das lésbicas, nunca havíamos ouvido falar e rapazes não usavam piercings. Nasci antes do computador, duplas carreiras universitárias e terapias de grupo. Até completar 25 anos, chamava cada homem de “senhor” e cada mulher de “senhora” ou “senhorita”. No meu tempo, virgindade não produzia câncer. Ensinaram-nos a diferenciar o bem do mal, a ser responsáveis pelos nossos atos. Acreditávamos que "comida rápida" era o que a gente comia quando estava com pressa. Ter um bom relacionamento, era dar-se bem com os primos e amigos. Tempo compartilhado, significava que a família compartilhava férias juntos. Não se conhecia telefones sem fio e muito menos celulares. Nunca havíamos ouvido falar de música estereofônica, rádios FM, Fitas cassetes, CDs, DVDs, máquinas de escrever elétricas, calculadoras (nem as mecânicas quanto mais as portáteis). "Notebook" era um livreto de anotações. Aos relógios se dava corda a cada dia. Não existia nada digital, nem relógios, nem indicadores com números luminosos dos marcadores de jogos, nem as máquinas. Falando em máquinas, não existiam cafeteiras automáticas, micro-ondas nem rádio-relógios-despertadores. Para não falar dos videocassetes, ou das filmadoras de vídeo. As fotos não eram instantâneas e nem coloridas. Havia somente em branco e preto e a revelação demorava mais de três dias. As de cores não existiam e quando apareceram, sua revelação era muito cara e demorada. Se em algo lêssemos "Made in Japan", não se considerava de má qualidade e não existia "Made in Korea", nem "Made in Taiwan", nem "Made in China". Não se havia ouvido falar de "Pizza Hut", "McDonald's", nem de café instantâneo. Havia casas onde se comprava coisas por 5 e 10 centavos. Os sorvetes, as passagens de ônibus e os refrigerantes, tudo custava 10 centavos. No meu tempo, "erva" era algo que se cortava e não se fumava. "Hardware" era uma ferramenta e "software" não existia. Fomos a última geração que acreditou que uma senhora precisava de um marido para ter um filho. Agora, me diga: quantos anos acha que tenho?
- Hi, vovô, mais de 200!
- Não, querido, somente 58!

terça-feira, 22 de setembro de 2015

O PREÇO DO AMOR

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

Uma tarde, um menino aproximou-se de sua mãe, que preparava o jantar, e entregou-lhe uma folha de papel com algo escrito. Depois que ela secou as mãos e tirou o avental, ela leu:
· Cortar a grama do jardim: R$ 3,00
· Por limpar meu quarto esta semana: R$ 1,00
· Por ir ao supermercado em seu lugar: R$ 2,00
· Por cuidar de meu irmãozinho enquanto você ia às compras: R$ 2,00
· Por tirar o lixo toda semana: R$ 1,00
· Por ter um boletim com boas notas: R$ 5,00
· Por limpar e varrer o quintal: R$ 2,00
· TOTAL DA DIVIDA: R$16,00
A mãe olhou o menino, que aguardava cheio de expectativa. Finalmente, ela pegou um lápis e no verso da mesma nota escreveu:
· Por levar-te nove meses em meu ventre e dar-te a vida: NADA
· Por tantas noites sem dormir, curar-te e orar por ti: NADA
· Pelos problemas e pelos prantos que me causastes: NADA
· Pelo medo e pelas preocupações que me esperam: NADA
· Por comidas, roupas e brinquedos: NADA
· Por limpar-te o nariz: NADA
· CUSTO TOTAL DE MEU AMOR: NADA
Quando o menino terminou de ler o que sua mãe havia escrito tinha os olhos cheios de lágrimas. Olhou nos olhos da mãe e disse:
- Eu te amo, mamãe!
Logo após, pegou um lápis e escreveu com uma letra enorme: "TOTALMENTE PAGO".
Assim somos nós adultos, como crianças, querendo recompensa por boas ações que fazemos. É difícil entender que a melhor recompensa é o amor que vem de Deus. E para nossa sorte é grátis. Basta querermos recebê-lo em nossas vidas!  

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

MEUS INIMIGOS

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES
Quase no final da missa dominical, o sacerdote perguntou:
- Quantos de vocês conseguiram perdoar seus inimigos?
A maioria levantou a mão...
Em seguida, o sacerdote voltou a repetir a mesma pergunta e, então, todos levantaram a mão, menos uma pequena e frágil velhinha.
- Dona Mariazinha, a senhora não está disposta a perdoar as suas inimigas?
- Eu não tenho inimigos! – respondeu a velhinha, docemente.
- Dona Mariazinha, isto é muito raro! E quantos anos a senhora tem?
- Eu tenho 98 anos – respondeu a velhinha.
O público presente levantou e aplaudiu a senhora, entusiasticamente.
- Conte para todos nós como se vive 98 anos e não tem um só inimigo...
Então, a doce velhinha se dirigiu ao altar e, olhando para a emocionada plateia, disse, em tom solene:
- Porque todos os filhos das putas já morreram!
QUE DEUS TOME CONTA DOS MEUS INIMIGOS!

QUANDO EU PENSAVA QUE JÁ TINHA VISTO TUDO...

POSTAGEM: ALOISIO GUIMARÃES

domingo, 20 de setembro de 2015

UMA GRANDE MENTIRA

Texto de João Alves

O pobre não entrava na faculdade. O que o PT fez? Investiu na Educação? Não, tornou a prova mais fácil. Mesmo assim, os negros continuaram a não conseguir entrar na faculdade. O que o PT fez? Melhorou a qualidade do ensino médio? Não, destinou 30% das vagas nas universidades públicas aos negros que entram sem fazer as provas.
O analfabetismo era grande. O que o PT fez? Incentivou a leitura? Não, passou a considerar como alfabetizado quem sabe escrever o próprio nome.
A pobreza era grande. O que o PT fez? Investiu em empregos e incentivos à produção e ao empreendedorismo? Não, baixou a linha da pobreza e passou a considerar classe média quem ganha R$ 300,00.
O desemprego era pleno. O que o PT fez? Deu emprego? Não, passou a considerar como empregado quem recebe o bolsa família ou não procura emprego.
A saúde estava muito ruim. O que o PT fez? Investiu em hospitais e em infraestrutura de saúde, criou mais cursos na área de medicina? Não, importou um monte de cubanos que sequer fizeram a prova para comprovar sua eficiência e que aparentemente nem médicos são (um já foi identificado como capitão do exército cubano).
Alguém ainda duvida que esse governo é uma tremenda mentira?

sábado, 19 de setembro de 2015

A DIETA IDEAL

Texto de Walcyr Carrasco
  TEXTO PARA A VEJA SP - MAIO 2010

Sempre estive dividido entre a volúpia de comer bem e a necessidade de me alimentar com saúde. A gula venceu boa parte das batalhas.
Nunca hesitei entre um camarão no alho e óleo e um chuchu refogado. Mas a idade aumenta e o desejo de cuidar da saúde cresce. Aboli a carne de porco há anos, depois de ter lido que era a mais prejudicial. Se algum cientista dizia, devia estar certo. Abandonei os torresminhos, as linguiças, os pernis!
Em minha recente viagem ao Japão, soube que pesquisadores do mundo todo estão estudando a dieta de Okinawa. É o lugar onde mais se vive no mundo. Há gente com mais de 100 anos andando de bicicleta na rua. O que eles comem rotineiramente? Carne de porco! Quase chorei de tristeza pelo tempo perdido! Lamentei-me por todos os lombos assados que desdenhei!
E os ovos? Garantiam que a gema era um veneno para o colesterol. Eu adoro ovo. Mas passei a evitar. Com a maior cara de pau, o mundo cientifico, faz algum tempo, anunciou o contrário: o ovo faz bem!    Quem me devolve as omeletes não comidas?
Durante algum tempo, para melhorar o colesterol, eu tomava “água de berinjela”. Deixa-se a berinjela na água durante a noite e bebe-se em jejum. Não há maneira mais horrenda de começar o dia. No exame seguinte, meu colesterol continuava igual. Óbvio, o culpado era eu:
- Você deve ter exagerado em outras coisas. Se não fosse a berinjela, teria piorado! - acusou-me o médico alternativo.
- Você não é um bezerro! - explicou delicadamente o tal médico - Pare com o leite de vaca!
Depois soube que o cálcio do leite animal é importante para os ossos! Em quem acredito?
Já cultivei uma coisa no aquário, até hoje não sei se vegetal ou animal! Era um espécime redondo que se reproduzia em placas que se colavam umas às outras. O segredo era beber daquela água todo dia, para garantir uma vida longa, saúde perfeita e inteligência aguçada. Foi moda numa certa época. Quando penso que bebia aquilo e ainda elogiava, não entendo por que não me botaram num hospício!
E a história dos radicais livres? Partem do pressuposto de que cada célula é uma ”fábrica” cujo funcionamento deixa resíduos. É preciso elimina-los com uma boa alimentação. A tese é ótima. A vilã sempre é a carne vermelha. Aconselha-se a substituição pela soja! Assim, tentei viver à base de carne de soja! Era tão gostosa como mastigar isopor!  Também incorporei leite de soja.
A última moda em alimentação é a quinoa. Provém dos Andes e é considerada completa em termos nutricionais. Tem sabor de nada. Achava impossível algo ter sabor de coisa nenhuma... Dia desses, estava com um amigo em uma lanchonete. Ele vive de regime. Viu no menu: Sanduíche de quinoa. Aconselhei:
- É um alimento maravilhoso que não engorda. Agi com boa intenção. Talvez ele gostasse. Veio um hambúrguer de quinoa frita. Duas desvantagens de uma vez: engordava por causa da fritura e só tinha gosto do óleo em que fora mergulhado! Quase perdi o amigo!
Tudo que é delicioso parece fazer mal: batatas fritas, hambúrgueres, refrigerantes, hot-dogs, bacon! E, claro, qualquer delicia feita de açúcar!
Penso em minha avó que cozinhava com banha de porco e quase chegou aos noventa. E em outros velhos que conheci. Talvez o povo do passado soubesse algo sobre alimentação que o tempo esqueceu. No mínimo, eles não viviam estressados com tantas dietas e informações. Sentiam-se felizes por desfrutar a comida.
Dietas são boas. Mas acredito que o principal ingrediente para a boa saúde é a paz de espírito!